sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

FESTA DO BATISMO DO SENHOR


Revista de Liturgia – nr 199

O batismo de Jesus é sua 2ª epifania aos judeus e à comunidade dos cristãos. Jesus se faz batizar como um pecador comum. Ele se incorpora ao povo, mas dá novo sentido ao rito batismal; o que era sinal de arrependimento, para Jesus é plenitude de justiça, início da sua missão. No texto do Evangelho, o testemunho do céu revela uma estrutura trinitária: voz do Pai, descida do Espírito e título de Filho.

A Palavra de Deus no batismo de Jesus lembra o Servo que animou o povo exilado na Babilônia. No salmo 29, aparece 7 vezes a expressão “voz de Iahweh”; ela se revela totalmente em Jesus Cristo.

Atualizando
Jesus é o Servo, por Excelência, o Filho bem-amado. Sobre Ele repousa o “dinamismo” de Deus; tudo o que Ele faz é obra que Deus deseja; Ele é realizador do projeto de Deus. Sem aceitar privilégios, Jesus quer ser solidário com os pecadores. O batismo de Jesus é despojamento de sua grandeza de Filho de Deus. O batismo cristão é participação no batismo de Cristo e na sua missão como Servo Amado de Deus, no Espírito. Ser batizado é tornar-se Servo com Cristo para estar a serviço da humanidade.

A Palavra de Deus na celebração
Mergulhados nas águas portadoras do Espírito, revivemos hoje nossa consagração batismal e como filhos(as) amados(as) do Pai somos confirmados na missão de ser luz das nações e anunciadores da boa-nova do Reino. Como povo sacerdotal, proclamamos pela eucaristia as maravilhas daquele que nos chamou das trevas à sua luz e aceitamos ser mergulhados com Ele no mistério de sua filial entrega ao Pai.

Fonte: Diac sérgio