sexta-feira, 11 de abril de 2014

Caminhada no Centro reuniu entidades da sociedade civil, representantes da prefeitura e dos legislativos municipal e federal, entidades religiosas, sindicatos e associações de moradore

Cinco mil pessoas participaram na tarde desta quinta-feira (10.4) da caminhada “Niterói diz Não à Violência”, que percorreu a Avenida Amaral Peixoto, no Centro, e terminou com um ato ecumênico na Praça Araribóia, em frente à estação das barcas. A passeata foi uma iniciativa de diversas entidades da sociedade civil, Prefeitura de Niterói, representantes dos legislativos municipal e federal, entidades religiosas, sindicatos e associações de moradores do município, com o objetivo de alertar às autoridades estaduais para a necessidade de ações efetivas que devolvam a tranquilidade aos moradores da cidade, como o aumento do efetivo de policiais militares nas ruas.

O prefeito da cidade destacou que, nos últimos meses, foram tomadas importantes medidas na área de segurança, como a ampliação dos efetivos das polícias Militar e Civil, a implantação de Companhias Destacadas da PM em Pendotiba e no Morro do Estado, e a inauguração da nova sede da Delegacia de Homicídios, entre outras.




“Essas ações, no entanto, não se mostraram suficientes. A prefeitura tem feito a sua parte. Ampliamos a presença da Guarda Municipal nas ruas, criamos o Regime Adicional de Serviço, implantamos o Patrulha Escolar, com a guarda patrulhando o entorno das escolas municipais, o Calçada Livre, de atuação na ordem pública, e vamos convocar nos próximos dias o concurso público para dobrar o efetivo da guarda, que será realizado ainda neste semestre. São ações importantes, mas não resolvem o problema da intranquilidade das pessoas. Por isso estamos reivindicando mais efetivos policiais para Niterói, porque nos últimos anos a cidade vem perdendo efetivo. Nós queremos que Niterói esteja integrada ao planejamento de segurança pública dos eventos internacionais do Rio. Este é um ato em que a prefeitura se soma a essa reivindicação da sociedade de Niterói, pela cultura de paz, por mais efetivos policiais para devolver a tranquilidade à nossa população”, afirmou o prefeito.

O padre Bruno Guimarães de Miranda, que participou do ato representando a Arquidiocese de Niterói, explicou o papel da igreja para a formação de uma cultura de paz. “Niterói sempre foi uma cidade tranquila, mas ultimamente a violência tem crescido muito. É uma iniciativa muito justa das entidades da sociedade civil e da prefeitura em promover essa caminhada para chamar a atenção das autoridades. Sou nascido e criado em Niterói e me sinto muito honrado em estar aqui. O papel da igreja é o de prevenção juntos às crianças e jovens, para ajudar a formar uma cultura de paz e de solidariedade entre todas as pessoas”, disse.

A caminhada terminou com um ato ecumênico na Praça Araribóia, comandado pelo pastor Roberto, da Ordem dos Pastores e Líderes Evangélicos de Niterói (Oplen); pelo padre Bruno Guimarães de Miranda e por Claudia Dutra, representante do Instituto Espírita Bezerra de Menezes.
Fonte: Prefeitura de Niterói