quarta-feira, 21 de maio de 2014

Antonio Banderas pode interpretar o Papa Francisco no cinema A produção “Call Me Francesco” será o primeiro filme sobre a vida do Papa argentino

                         foto:  David Shankbone
                                                                            -Aleteia-The Huffington Post

O galã espanhol Antonio Banderas pode ser escalado para o papel do papa Francisco no primeiro longa-metragem sobre a vida do pontífice argentino.

O diretor italiano Daniele Luchetti planeja fazer o filme orçado em 12 milhões de dólares e rodado em espanhol. A produtora romana Taodue Film, de Pietro Valsecchi, confirmou a notícia na última quarta-feira, 14 de maio. Um porta-voz declarou que a empresa procura locações em vários lugares, incluindo Argentina e Itália.

O filme se baseia no best-seller "Francisco: el papa de la gente" (Francisco, o papa do povo), de Evangelina Himitian. O elenco ainda está sendo escalado, mas a pré-produção está em andamento. Banderas é um dos principais atores de língua espanhola a ser considerados para o papel principal.

As gravações devem começar ainda durante o atual verão do hemisfério norte. A Taodue não quis se arriscar a dizer se o filme ficaria pronto para ser lançado em 17 de dezembro, data em que o papa completa 78 anos.

Na semana passada, Banderas, 53, disse em entrevista que estava orgulhoso do destaque alcançado em Hollywood por atores hispânicos. Quando chegou aos EUA, contou ele, foi avisado que interpretaria "vilões a vida toda", porque "negros e hispânicos" eram geralmente escalados para o papel dos maus.

Francisco despertou interesse mundial e foi tema de uma série de documentários desde a sua eleição, mas até agora não foi produzido nenhum filme sobre a sua vida.

Por outro lado, o diretor italiano Paolo Sorrentino anunciou planos, neste ano, de criar uma série de TV sobre um fictício papa norte-americano. O diretor Ridley Scott, de Hollywood, filmou recentemente o piloto de uma série de TV intitulada "O Vaticano". O piloto foi estrelado por Bruno Ganz como um Sisto VI da época contemporânea.