sexta-feira, 27 de março de 2015

Religiões celebram a Páscoa



A Páscoa é uma das mais importantes festas do Cristianismo. Nela, os cristãos são convidados a celebraram o mistério pascal de Jesus. Afinal, foi pela sua ressurreição que fomos salvos de nossos pecados. Católicos e protestantes comungam da mesma solenidade durante a Semana Santa, semana essa que os convidam para momentos de orações e reflexões das últimas horas de Cristo na Terra.

Considerando a participação de outras crenças não cristãs em nosso país, a celebração da Páscoa acaba influenciando - as pelo fato do Brasil ser o maior país cristão do mundo. Cada denominação religiosa, até as cristãs, tem suas celebrações particulares durante o período que antecede a Páscoa.

O pastor Raniele Sales, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, explica que a Páscoa é entendida como a maioria da Cristandade. “Biblicamente, embora entremos no clima da Páscoa, como todos os cristãos, não limitamos nossa visão de seu significado a uma data específica, pois quando Jesus veio ao mundo, pouco antes de Sua morte, Ele celebrou a Páscoa com os discípulos servindo o pão e o vinho como símbolos de Seu corpo e de Seu sangue que seria derramado. Aqui é feita a conexão entre a Páscoa dos judeus e a Ceia do Senhor”, pontua.

A Igreja Adventista, que a tem como doutrina a guarda do sábado, realiza momentos de orações, cultos e celebrações específicas durante a Semana Santa. Os adventistas encenam o Lava-Pés e realizam a Santa Ceia. E a cada ano, a Igreja lança um tema, baseado na bíblia, no qual é refletido.

Já na Primeira Igreja Batista, o pastor Cleverson Pereira conta que a Páscoa enfatiza o Cristo Vivo, não um Deus morto, mas o Deus ressurreto. “Nela anunciamos a verdadeira essência do evangelho”, enfatiza. O pastor ainda ressalta que “hoje nós temos um motivo muito especial para comemorarmos a páscoa também, sabe por quê? É que a exemplo do povo de Israel, nós também estávamos presos. Preso ao que? Estávamos presos em nossos delitos e pecado. Quando Jesus Cristo morreu na cruz do calvário e ressuscitou dentre os mortos, a nossa libertação ocorreu. Agora, não somos mais escravos do pecado, mas libertos em Cristo Jesus”, finaliza.

A Igreja Batista, que é classificada como protestante, realiza momentos de orações e cultos durante a Semana Santa.

Na Igreja Luterana, por exemplo, o significado da Páscoa é semelhante das demais religiões cristãs. “A páscoa tem como símbolos centrais a morte e a ressurreição, que significam a vitória da vida sobre a morte. É uma época que faz renascer a esperança na vida de quem crê, é o sinal da promessa”, ressalta o pastor Marcos Jair Ebeling, da Igreja Evangélica da Confissão Luterana no Brasil de Campinas/SP.

Assim como os católicos, os luteranos celebram o Tríduo Pascal que se inicia na Quinta-Feira Santa com a cerimônia do Lava-Pés e encerra com o Sábado Santo.Para os luteranos, a preparação da Páscoa começa no período da Quaresma, quando a comunidade se volta a reflexões do mundo e de Deus com os cultos e celebrações. O pastor Ebeling ainda ressalta que no Domingo de Páscoa, são realizadas confraternizações com a comunidade no sentido de celebrar a ressurreição de Jesus.

“A Páscoa é totalmente importante. Principalmente na vida de quem crê, pois ela é o significado da vitória da vida. Muitas vezes as pessoas não conseguem vencer as dificuldades que passam na vida, mas a páscoa mostra que a vitória vem e que ela pode vencer estes problemas”, ressalta o pastor Ebeling.

O rabino Moshe ben Yishai, da Congregação Israelita da Nova Aliança, relata que de acordo com a ordenança bíblica, o Pessach (Páscoa Judaíca) é a cerimônia que ocorre no mês de Nisan, primeiro mês do calendário religioso judaico. “Conforme a Torah descreve em Exodo 12, trata-se de uma festa que dura sete dias, a começar no dia 14 de Nisan, junto com a festa dos pães azimos, e se estendendo até o dia 21. Iniciamos a celebração tirando minuciosamente todo o fermento de nossas casas, isto é, tudo que contenha um dos cinco cereais, trigo, cevada, aveia, centeio e espelta, e que tenha ficado em contato com a água por no mínimo 18 minutos, tempo mínimo para iniciar o processo de fermentação”, conta.

Os judeus seguem a tradição de realizar o Seder de Pessach, um jantar solene, repleto de simbolismo, que remete a saída do povo de Israel da escravidão no Egito. “Comemos ervas amargas, matzah (pão ázimo), carne de cordeiro e quatro cálices de vinho”, explica.

Por fim, o mesmo propósito é celebrado por todas as religiões. Todos com o objetivo de comemorar a nova páscoa; que nos proporciona uma passagem para uma vida melhor.
Por: A12